Inspire-se com belas histórias de amor

O Dia dos Namorados está chegando, e não tem jeito: a gente acaba sendo afetado pelo clima romântico das ruas.  Nada melhor que aproveitar para ler uma história de amor bem bonita. Anote na sua lista de desejo os livros abaixo e se jogue de cabeça em algumas das histórias mais românticas da literatura:

Romeu e Julieta – William Shakespeare

Uma das obras mais conhecidas de William Shakespeare, a tragédia foi escrita entre 1591 e 1595. O casal mais romântico da literatura, “Romeu e Julieta”, são adolescentes filhos de famílias rivais que vivem na Verona Renascentista. Você já deve saber que, no final, o casal se mata por amor. Porém, o enredo apaixonante e cheio de reviravoltas vale a leitura, mesmo com “spoiler”.

 

Orgulho e Preconceito – Jane Austen

Você sabia que Jane Austen escreveu “Orgulho e Preconceito” com apenas 21 anos? A história que continua atual, fala sobre a rotina de Elizabeth Bennet e seus problemas relacionados à educação, saúde e casamento durante o século XIX na Inglaterra. Ela se apaixona por Fitzwilliam Darcy, um homem rico e muito reservado, e a relação serve de pano de fundo para debater a sociedade e a juventude na época.

 

E o vento levou  – Margaret Mitchell

Publicado em 30 de junho de 1936, o clássico livro vendeu mais de trinta milhões de cópias pelo mundo e ganhou o prêmio Pulitzer um ano após o seu lançamento. A história acontece no sul dos Estados Unidos e mostra a transformação de Scarlett O’Hara de uma mimada filha de fazendeiros em uma mulher forte e lutadora que sobrevive à Guerra Civil Americana. Após dois casamentos, Scarlett recebe Rhett Butler como marido. Com um comportamento escandaloso e irônico, ele é afastado dos demais cavalheiros da região, mas acaba vivendo uma particular história de amor com a protagonista.

 

Bonsai – Alejandro Zambra

O que você faria se descobrisse que seu amor de adolescência faleceu? Essa é a partida do livro do chileno Alejandro Zambra, cuja narrativa se divide entre a história de Julio e Emília nas descobertas da faculdade de Letras e a vida adulta, que não saiu exatamente como o planejado. No final, Emília morre e Julio fica sozinho. Mas, o que exatamente significa ter um amor? Ou a sua ausência?

 

Marília de Dirceu – Tomás Antônio Gonzaga

O livro foi publicado em 1792, ano em que Tomás Antônio Gonzaga foi enviado ao exílio em Moçambique por sua participação com a Inconfidência Mineira. Em uma linda carta de amor em forma de poema, ele fala sobre o seu amor a noiva com Dorotéa Joaquina de Seixas, a Marília de Dirceu do livro. O sonho do eu lírico do livro é ter uma vida bucólica, construindo uma família no campo.

 

E você, tem uma história de amor preferida? Conte para a gente nos comentários!