Hoje comemoramos o Dia Nacional da Alfabetização

Papel e alfabetização têm tudo a ver! Por isso, nesse dia tão especial, reunimos algumas informações sobre o tema.

Apesar dos avanços no campo da alfabetização, segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), o Brasil é o oitavo país com maior número de analfabetos adultos. E, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de analfabetos com mais de 15 anos é de 8,7% da população.

Porém, o Brasil está avançando na busca pela alfabetização de sua população. Um exemplo é o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (Pnaic), que foi lançado em 2012 e é um compromisso no qual os governos federal, estadual e municipal devem assegurar que todas as crianças sejam alfabetizadas até os oito anos de idade, ou terceiro ano do ensino fundamental.

O processo de alfabetização

Aprender a ler é um desafio diferente para cada individuo. Entre os 5 e 7 anos de idade, as crianças já estão prontas para começar a ser alfabetizadas. O processo de alfabetização, nada mais é que ensinar a criança a decifrar códigos, ou seja, as letras.  Trata-se de um passo muito importante na vida de uma criança, já que é quando ela começa a se apropriar do modo de comunicação dos adultos.

A comunicação por meio de símbolos começa com os primeiros desenhos, que são o início do contato da criança com a narrativa. Ao ser alfabetizada, a criança aprende a ligar esses símbolos à comunicação. Ao ler, uma pessoa mobiliza uma área do cérebro chamada forma visual das palavras, que imprime significado aos símbolos escritos.

Existem diversas maneiras de alfabetizar uma pessoa. Porém, se você tem alguém próximo que está passando por esse processo na escola, confira algumas dicas que ajudam nesse processo:

1.       Estimule a criança a ter contato com lápis e canetas desde cedo. Isso facilita o desenvolvimento motor.

2.       Também é importante que os pais não limitem os trabalhos das crianças. Estimular os pequenos a desenharem e tentarem escrever, à sua maneira, os enche de empolgação.

3.       Para quem já está aprendendo a escrever na escola, a dica é que os pais estimulem o seu desenvolvimento em casa.  Geralmente, a alfabetização inicial acontece durante os dois primeiros anos de escolaridade e, posteriormente, as crianças aprofundam conhecimentos sobre o texto.

4.       Além de incentivar as crianças a escrever, é importante que os pais deixem à disposição dos filhos diversos livros. Leia todos os dias para os pequenos, mostrando o formato das letras e dos números.

5.       Para as crianças que já dominem a alfabetização, é interessante propor que elas escrevam textos que já saibam de memória. Valem poemas, músicas e recontar as histórias que ouviam quando pequenas. A atividade as ajuda a pensar sobre a atividade da escrita e a melhorar a grafia.

6.       Pré-adolescentes podem desenvolver melhor a escrita quando ganharem um diário de presente. Colocar a rotina e os sentimentos no papel vai ajuda-los a escrever textos complexos e a se expressar melhor.