Curto Papel

“O reflexo da minha busca e o oposto de mim”

Sinta-se desafiado pelas reflexões desenhadas de Renata Miwa

 

Eu, como artista, quero estar sempre em constante evolução.

 

Meu nome é Renata Miwa, tenho 26 anos e sou filha única. Sou filha de um ilustrador e uma letrista. Por isso, desde pequena vivi e convivi com desenhos, personagens e arte. Me formei em Publicidade e Propaganda, trabalhei como redatora e planner de social media. Depois disso, trabalhei como designer gráfica por quatro anos. Fui morar fora. Lá a vontade de me envolver com a arte voltou e comecei a desenhar muito. Me encontrei no meu estilo e resolvi levar a sério. De volta a São Paulo, arrumei o meu estúdio e, desde então, não parei mais.

 

Caixa de Tesouros

Desde criança meus pais sempre me davam materiais de arte pra brincar.

Mão na massa

 

Eu lembro que eu tinha uma caixa de sapato onde eu colocava os meus tesouros: cola, tesoura, purpurina, fitas adesivas. Meu hobbie era ficar no meu quarto fazendo as minhas artezinhas. Também adorava fazer as capas dos meus cadernos da escola e ficar desenhando durante a aula. Mas nunca encarei isso como uma profissão a ser seguida. Então, fazia por diversão mesmo.

 

Quando as ideias aparecem

O papel é essencial pra mim. Sou uma pessoa muito analógica, então, sempre tenho que começar uma ideia no papel pra depois passar para o computador ou para a tela.

Desenhando na casa da batyan Rascunhos para mural

É ótimo andar com uns papeizinhos na bolsa pra anotar todas as minhas ideias. A inspiração pode ser um filme, uma música, um cheiro, um olhar. Tento passar o tempo com documentários ou textos sobre filosofia, psicologia, felicidade, o significado da vida e budismo. São assuntos que me interessam muito (também passo horas no Pinterest, Instagram e feedly – vendo blogs de vários artistas. Amo!).

 

Concentração e paz no papel

A arte pra mim é um tipo de meditação.

Cartaz na parede Caderno nas flores

Eu sempre morei em cidades grandes que é sempre uma mistura de caos, agitação etc. Quem me conhece sabe que eu sou o reflexo disso tudo. Sou uma pessoa que fala muito, não consegue ficar parada nem um segundo, quer tudo pra agora e, além de tudo, muito ansiosa.

Daí que para melhorar minha ansiedade, comecei a meditar, ir atrás de assuntos sobre psicologia e filosofia, pra poder me entender melhor. Quando desenho é que eu consigo me concentrar em algo, quando me acalmo – e por isso que muitas pessoas dizem que que sentem paz quando veem meu trabalho – isso é o reflexo dessa minha busca; e o oposto de mim.

 

Desenhando significados

Eu, como artista, quero estar sempre em constante evolução. Por isso, sempre estou estudando, indo atrás de novas leituras para meu trabalho.

Calma Karma Conexão

No caso da sequência de trabalho que fiz acima, fui pesquisar sobre semiótica: é a minha forma de passar uma mensagem e um sentimento de forma simbólica e metafórica. A pessoa que está vendo o trabalho faz a sua própria leitura que pode corresponder ao que eu pensei ou não. Tanto faz pra mim. O importante é que a pessoa sinta essa estranheza do abstrato/símbolos e tente entender o que está acontecendo ali. O mais importante é essa interpretação individual.

 

Conheça mais o trabalho da Renata no site http://renatamiwa.com.