Berço de papelão?

Conheça a tradição que reduziu a taxa de mortalidade infantil na Finlândia e continua contribuindo com outras famílias pelo mundo

Em meados da década de 1930, na Finlândia, grávidas recebiam caixas de papelão com presentes para o bebê, com o objetivo de reduzir as taxas de mortalidade infantil. Além do material, o kit continha itens úteis para a criança, como roupas, fraldas, produtos para o banho, toalhas e um álbum. A caixa, inclusive, passou a ser usada como primeiro berço, pois vem acompanhada de um colchão.


050516_blog

Um dos propósitos da caixa é evitar que o bebê durma junto dos pais, evitando, assim, que a criança sofra lesões. Ao que parece, a prática tem dado resultados, uma vez que o país nórdico tem, hoje, uma das menores taxas de mortalidade infantil.

040516_cur_blog

Outro motivo de orgulho pelo governo finlandês é que a caixa tornou-se símbolo de igualdade, já que todas as mães, independente da condição financeira, podem receber o kit e 95% delas aceitam.

Além da Finlândia, a caixa tem sido usada em outros países, como é o caso do México, com o projeto “Cunas CDMX” que, além de combater a mortalidade infantil, tem como objetivo incentivar as mães a realizarem o acompanhamento da gravidez.

A caixa foi um dos presentes recebidos pelo primogênito do casal real britânico. O governo finlandês enviou o kit para a família para congratular a chegada do Príncipe George.

Fonte: BBC