Embarque nas histórias clássicas da Coleção Folha Grandes Nomes da Literatura

Livros feitos com papel Chambil Avena  reúnem algumas obras-primas de autores consagrados

Juntar em uma mesma coleção alguns dos melhores nomes da literatura mundial é uma ideia que só podia ser idealizada por quem também ama papel. Por isso, é natural a parceria que o jornal A Folha de S. Paulo fez com a International Paper.

Quem está por dentro da cultura pop já deve ter ouvido falar de Dorian Gray. Pois ele é criação do autor irlandês Oscar Wilde, um dos homenageados na Coleção Folha Grandes Nomes da Literatura. O livro “O retrato de Dorian Gray” é uma de suas criações mais festejadas e, mesmo tendo nos deixado em 1900, sua influência ainda é grande. O mesmo ocorre com outro homenageado na coleção, Fiodor Dostoiévski. O escritor russo que fez fama no século 19 ainda é bastante cultuado por seu estilo preciso e minucioso, como pode ser conferido em “Memórias do subsolo”, outro clássico da coleção.

Saindo do frio e vindo para o nosso clima tropical, temos a ucraniana mais brasileira de todos os tempos. A talentosíssima Clarice Lispector está presente também com seu sexto romance, “Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres”, uma história de amor diferente. Algo que só o estilo incrível de Lispector poderia nos dar.

Edgar Allan Poe é outro autor cujo estilo único pode ser sentido até hoje. Especialista em histórias de terror, o inglês sabia como deixar os pelos dos leitores arrepiados. Em “Assassinatos na Rua Morgue e outras histórias”, podemos conferir uma das especialidades do escritor: os contos.

Quem vibra com histórias intensas assim já deve ter visto o clássico filme Apocalipse Now! Pois ele é baseado no incrível livro “O coração das trevas”, de Joseph Conrad, que narra as aventuras do capitão Maslow a bordo de seu precário navio. Além do talento, Conrad sabia do que estava falando. Ele foi oficial da Marinha Mercante e chegou a viajar pelo interior do Congo no fim do século 19.

Um pouco mais surreal, mas não menos chocante, temos também na coleção o livro “A metamorfose”, de Franz Kafka. Logo na primeira frase vemos o protagonista acordar percebendo ter sido transformado em uma…barata. Imagina um pesadelo virando realidade. Esse é o poder do livro escrito originalmente em alemão. Seu estilo é tão forte que inclusive originou o adjetivo “kafkiano” para designar esse sentimento de mal-estar psicodélico.

Saindo da Europa e voltando ao Brasil, temos um campeão no quesito literatura nacional: Machado de Assis. O autor carioca marca presença na coleção com “Memórias póstumas de Brás Cubas”, exemplo perfeito de sua técnica ágil, sincera e cativante.

Ao todo, a coleção tem 28 livros espetaculares de autores consagrados e que mereciam um papel como o Chambril Avena, produzido pela International Paper, que possui tonalidade off-white e reflete menos luz, proporcionando maior conforto na sua leitura. Não perca!