Uso de papel cresce dentro e fora da sala de aula

Pesquisa da Paper and Packaging Board mostra como o papel auxilia no processo de aprendizagem de crianças e adolescentes

Para celebrar o dia mundial da alfabetização, celebrado no dia oito de setembro, apresentamos o resultado do segundo relatório anual da Paper and Packaging Board, produzido com os dados de uma pesquisa realizada com 4.300 alunos, pais e professores dos Estados Unidos. E os números geram curiosidade: apesar dos aparatos tecnológicos à mão, o papel ainda é protagonista dentro e fora da sala de aula.

O estudo mostra que o número de estudantes que sempre utilizam o papel para se preparar para o período de provas cresceu 7% no último ano. Os dados revelam, também, que o material é a principal ferramenta de estudo de 74% dos alunos consultados e que eles preferem:

  • fazer notas escritas a mão;
  • preparar cartões pautados com anotações de pontos importantes da matéria;
  • organizar as informações em planilhas de papel.

A Paper and Packaging Board também descobriu que três em cada quatro dos profissionais de ensino utilizam livros impressos durante as aulas. Mais além, 83% deles acreditam que as escolas deveriam continuar investindo em livros, uma vez que ⅔ dos alunos assimilam melhor o conteúdo visto no papel durante o processo de aprendizado.

Da mesma forma, os pais revelaram que o papel os ajudam a participar do processo de aprendizagem das crianças. Os números mostram que 70% deles são mais propensos a ajudar com as lições de casa quando o filho está trabalhando com livros de papel, trabalhos escritos, manuais ou de artesanato.

Além disso, a Paper and Packaging Board destaca o vínculo afetivo criado com o papel e revela que 97% dos pais tem o hábito de guardar os trabalhos escolares dos filhos para registrar as diferentes fases escolares da criança e guardar na memória cada conquista e aprendizado.

E você? Também tem guardado os primeiros rabiscos de seu filho? Compartilhe sua relação com o papel conosco.