10 livros que todo mundo deveria ler pelo menos uma vez na vida

Encante-se com histórias e aumente os seus conhecimentos sobre grandes clássicos da literatura mundial

Os grandes clássicos literários ultrapassam os limites do tempo e impactam a vida dos leitores através de suas páginas. As histórias que fazem refletir e proporcionam o desenvolvimento de um senso crítico, capaz de provocar transformações nas pessoas e, consequentemente, no ambiente em que elas estão inseridas.

Pensando nisso, separamos dez histórias que todo mundo deveria ler pelo menos uma vez na vida. Confira:

Ensaio sobre a cegueira – José Saramago

O romance mais famoso do autor José Saramago é definido como um livro brutal e violento pelo próprio escritor português. Uma daquelas histórias que nos transportam para outras realidades e nos fazem pensar sobre a vida e a natureza humana.

No livro, Saramago escreve sobre uma epidemia de cegueira que abala as pessoas, os tipos de relações humanas e desperta diferentes tipos de sentimentos e reações, que resultam em um colapso social e urbano. Por conta deste trabalho excepcional, o escritor foi reconhecido no prêmio mais importante da literatura portuguesa – o Camões, em 1995.

Além disso, em 2008, a obra ganhou uma adaptação cinematográfica, que foi dirigida pelo brasileiro Fernando Meirelles.

O velho e o mar – Ernest Hemingway

161201_8
As histórias de pescador sempre se destacaram entre os clássicos da literatura mundial. Nenhuma, no entanto, como a obra de Ernest Hemingway, em “O velho e o mar”.

Considerada uma das últimas grandes obras do escritor norte americano, a narrativa apresenta a história do pescador cubano Santiago, que luta contra um peixe-espada em alto-mar em sua canoa, em uma saga de superação, revelações e autossuperação.

Controverso, o livro reafirma o trabalho de Hemingway e o qualificou para o Prêmio Novel de Literatura de 1954.

Vidas secas – Graciliano Ramos

161201_7
Pai dos personagens mais famosos da literatura brasileira, Fabiano e Baleia, Graciliano Ramos denunciou os desafios de uma família de retirantes, que fogem dos maus tratos da seca e das injustiças sociais.

A obra foi escrita entre 1937 e 1938. Representa as histórias de retirantes que o escritor vivenciou durante a infância. A mágica literária em Vidas Secas não se restringe às palavras de um dos maiores escritores de todos os tempos. Além disso, as páginas da primeira edição do livro apresenta, também, ilustrações feitas pelo artista plástico Aldemir Martins.

Diário de Anne Frank – Anne Frank

161201_6
De que maneira uma criança torna-se capaz de denunciar os horrores de uma guerra? Para Annelies Marie Frank, as páginas de um diário foram o refúgio para escapar e denunciar a realidade de uma família judia que se escondia do controle nazista em Amsterdã, na Holanda.

O diário, escrito entre 1942 e 1944, durante a segunda guerra mundial, foi encontrado e entregue ao pai de Anne, Otto H. Frank, apenas em 1945, após a morte da jovem no campo de concentração de Bergen-Belsen.

Com os manuscritos em mãos, as lembranças da família e a inquietação após anos tão sombrios, Otto decidiu publicar o livro, que se tornaria um símbolo da literatura mundial, em 1947.

Admirável mundo novo – Aldous Houxley

161201_5
Em uma época em que as pessoas não tinham as informações a um clique de distância e que os grandes acontecimentos, acordos e negócios não eram noticiados e celebrados em rede nacional pelos canais de televisão, um romance distópico chamou a atenção do mundo.

Publicado em 1932, Admirável Mundo Novo narra a realidade de um futuro onde as pessoas são pré-condicionadas biologicamente e condicionadas psicologicamente a viverem em harmonia, seguindo a ordem do regime social vigente e as características de uma comunidade organizada em castas.

Uma obra à frente do tempo, Aldous Huxley perpetuou nas páginas de seu livro a inquietação que gera debates e promove mudanças nos indivíduos e na sociedade.

Orgulho e preconceito – Jane Austen

Com apenas 21 anos de idade, a escritora Jane Austen deu vida à história de amor de Elizabeth Bennet, questionou problemas relacionados à educação, à saúde e as relações sociais da aristocracia inglesa do século XIX.

A relação com Fitzwilliam Darcy, um homem rico e reservado, serve de pano de fundo para debater a sociedade e a juventude na época. A obra inspirou adaptações e continua viva nas páginas dos livros, nas peças de teatro, na televisão e no cinema.

Dom Quixote – Miguel de Cervantes

161201_4
Considerado por muitos expoente máximo da literatura espanhola e a maior obra de ficção de todos os tempos, Dom Quixote, de Miguel de Cervantes, conta a história de um fidalgo que se entrega à leitura dos romances de cavalaria, perde o juízo e decide tornar-se um cavaleiro andante, como os heróis dos livros.

Na obra, Cervantes satiriza a desvalorização das histórias de cavalaria diante das mudanças sociais e inova ao apresentar a sua narrativa sob a forma de novela realista.

Poemas antológicos – Solano Trindade

A poesia brasileira também merece destaque entre as obras capazes de promover uma reflexão naqueles que as leem. O canto poético e a resistência de Solano Trindade, participante ativo da cultura negra no Brasil, entusiasta de maracatu, e seguidor das raízes africanas, deixou marcas na história cultural do país.

161201_3

Na obra Poemas Antológicos, o poeta denuncia a escravidão, exalta a cultura e declama o amor como um princípio de liberdade. Trindade foi exemplo de força e sua obra traz à tona a discussão sobre igualdade e liberdade em poemas repletos de musicalidade.

A arte da guerra – Sun Tzu

161201_2Ilustração: Gilmar Fraga

Nenhuma obra ou tratado é tão completo e tão atual quanto A Arte da Guerra, do chinês Sun Tzu. Escrito durante o século IV a.C., o livro deixou as estantes dos estrategistas e tornou-se arma especial para economistas e do administradores ao longo dos séculos.

O tratado é dividido em treze capítulos, cada qual aborda um aspecto da estratégia de guerra, formando um panorama de todos os eventos e estratégias que devem ser abordados em um combate racional.

Clube da luta – Chuck Palahniuk

161201_1

Contrariando a regra primordial da narrativa, encerramos a nossa lista falando sobre o Clube da Luta. Lançada em 1996, a obra de Chuck Palahniuk é mais um grande sucesso literário que ganhou os cinemas e tornou-se ainda maior.

O livro narra a história de um jovem que encontra alívio e redenção para as insatisfações da vida nas lutas em pequenos clubes escondidos nos porões de bares de sua cidade. O clube da luta é idealizado por Tyler Durden, que acredita ter encontrado uma forma de contornar os padrões sociais e as regras que não fazem sentido para ele. Procurando uma forma de mudar de vida, os personagens embarcam em uma viagem perigosa e sem limites.

Já leu alguma dessas obras? Compartilhe os livros que mudaram a sua vida conosco!