Curto Papel

Uma viagem, uma fantasia e uma história com o papel

Conheça o trabalho do artista Márcio Ferreira, professor, designer e pioneiro no trabalho com caricaturas e desenhos no Brasil

Em minha atuação como artista, de mais de 20 anos, posso dizer que o papel faz parte do meu papel. Minha relação é de viagem, fantasia, de conhecimento e relacionamento. Quando me deparo com o material começo a imaginar as infinitas possibilidades de mundos que podem surgir com a arte.

Pra mim, o papel em seus diversos formatos, cores, cheiros e texturas funcionam como uma espécie de fronteira entre o mundo real e os universos imaginários. Um espaço onde posso conhecer, por meio da criação de personagens, de paisagens e de cenários fantásticos. No papel, a riqueza da sensação tátil promove uma experiência quase mágica de poder fazer a imaginação tornar-se real.

170217_03

O papel é um suporte maravilhoso em que se estabelece, não somente minha arte e carreira, mas também meus relacionamentos com as pessoas. Com ele em mãos foi possível construir vários relacionamentos importantes de negócios e amizades durante a minha vida.

O início de tudo

O gosto pelo desenho surgiu na infância. Na escola desenhava muito no caderno para lidar com um problema da timidez. Com o tempo, fui percebendo que o desenho poderia ser uma maneira de fazer amizades, trabalhar e conseguir interagir com diversas pessoas de cultura e classes sociais distintas.

170217_04

Iniciei minha caminhada profissional em um shopping, trabalhando com retratos. Os anos passaram e nem dei conta do quanto meu trabalho repercutia. Quando menos esperava, estava fazendo charges para alguns jornais, trabalhando com caricatura em buffets e eventos de empresas famosas e vendo meu trabalho sendo enviado para clientes em outros países, como Japão e Estados Unidos.

Em 2010, representei a cidade de Osasco no concurso mapa cultural na modalidade de caricatura e fiquei com a menção honrosa, registrando o nome da cidade de Osasco no catálogo do mapa cultural do Estado de São Paulo.

O trabalho com caricaturas

A caricatura traz um sentimento de alegria, diversão e de algum modo, tem um efeito terapêutico nas pessoas. Enquanto o retrato encobre tudo aquilo que a pessoa deseja esconder de si mesma, a caricatura incentiva que ela passe a lidar melhor com suas marcas pessoais a partir de traços exagerados e engraçados.

170217_02

Procuro impactar as pessoas com diversão ao fazer caricaturas. Tento fazer com que as pessoas aproveitem o lado bom da vida. Sorrir, contemplar e sonhar são três coisas importantes para encarar a dura realidade do dia a dia.
A arte de desenhar e de ensinar

Ser artista é editar os momentos da vida, enquanto ser professor é como atuar num filme em que aluno e mestre editam, juntos, momentos especiais. Para aqueles que gostam de desenhar e que querem fazer carreira com a arte sempre tenho algumas dicas.

170217_01

Primeiro, produza, produza e produza. Num primeiro momento sem se preocupar com o que os outros vão pensar da sua arte. Nesta fase, o papel é seu melhor amigo. Segundo, exponha sua arte, meta a cara no mercado e utilize as mídias em geral para iniciar sua carreira. Terceiro, persista muito mais em alcançar os seus sonhos, seja ousado e apaixone-se pelo estilo de vida que você pretende atuar, não foque somente em dinheiro.

Por fim, recomece quantas vezes for preciso, pois o caminho da arte não é como uma linha reta e contínua, ele é como a vida, com vários rabiscos sobre o papel que, quando você menos espera, toma uma forma impressionante.

Clique aqui e inspire-se ainda mais com o trabalho do Márcio. Veja, também, o perfil no Pinterest.