Ler em materiais impressos te deixa mais inteligente

Estudos comprovam como a experiência da leitura em papel ajuda na construção da memória e do entendimento das informações

Você já parou para pensar sobre o impacto da leitura sobre o seu cérebro? Como nós já desconfiávamos, estudos mostram que os conteúdos impressos melhoram a absorção e o entendimento do conhecimento, além de estabelecer uma conexão mais profunda com o leitor.

Mais gentil com os olhos, com o cérebro e com os padrões de sono do leitor, os livros de papel apresentam-se como uma opção eficaz para quem deseja transmitir informações para outras pessoas. Então, se você está começando a escrever uma história e está na dúvida entre colocá-la no papel ou na internet, atenção: o formato impresso também é o mais indicado para estabelecer uma conexão emocional maior com o leitor.

Desde a década de 1990, são realizados estudos que comprovam que os leitores têm um envolvimento emocional mais duradouro com materiais impressos do que com seus equivalentes digitais.

Em 2009, um estudo neurológico realizado pela empresa de pesquisas de mercado Millward Brown revelou que materiais impressos deixam um rastro mais significativo no cérebro, envolvem maior processamento emocional (o que ajuda com a memória e com associações com as marcas) e produzem mais respostas cerebrais ligadas aos sentimentos internos, sugerindo que “internalizamos” conteúdos, dando-lhes mais repercussão ao longo do tempo.

Construção da memória a partir da leitura

giphy

De acordo com a Revista Print Power, uma parte da construção da nossa memória é feita a partir das respostas emocionais a materiais escritos ou impressos no papel. Por isso, é importante estimular a leitura desde os primeiros anos e incluí-la como aliada nos processos de aprendizado e o desenvolvimento de crianças.

Como já vimos aqui, o papel ainda é protagonista dentro e fora das salas de aula e um estudo de 2012, realizado pela Universidade de Stavanger (Noruega) com estudantes do ensino básico comprova que “alunos que leem textos impressos têm desempenho bem melhor na prova de compreensão de leitura do que os que leem textos em meio digital”. Outras pesquisas revelaram que quem lê na tela acha a experiência mais estressante e cansativa do que a leitura no papel.

A importância da experiência sensorial com o livro impresso

giphy (1)
Para alguns especialistas, o simples ato de virar páginas ajuda o cérebro a lembrar das informações. Isso acontece por causa do efeito da fisicalidade e da tangibilidade dos materiais impressos no nosso cérebro enquanto estamos lendo. Não acredita?

Sebastian Haupt, coautor do livro Touch! Der Haptik-Effekt im multisensorischen Marketing (Toque! O efeito háptico no marketing multissensorial), descobriu que o contato físico com o papel (efeito háptico) desperta o cérebro. “Mensagens respaldadas pelo tato são notadas”, explica ele em entrevista à revista Print Power. “Elas atraem a curiosidade e o lado brincalhão das pessoas”.

giphy (2)

Tudo isso sugere que a capacidade da comunicação impressa de se conectar com o cérebro humano torna-a o formato preferencial para quem deseja dar a suas palavras um impacto profundo e duradouro. Comprovando isso, um artigo da revista Wired conclui que “o dispositivo inteligente de leitura do futuro pode ser o papel”, porque o impresso é insuperável em nos ajudar a entender mensagens complexas demais para serem resumidas em poucos caracteres na internet.

E você? Concorda com isso? Como a leitura te ajuda a ser mais inteligente no dia a dia?

Fonte: Revista Print Power