Esculturas de papelão dos Aldeões de Shaoxing

A história de um engenheiro que abandona sua carreira profissional para se dedicar à arte de fazer figuras humanas de papelão, em tamanho real!

Já percebeu como o papelão pode virar uma obra de arte, literalmente?

O artista Warren King começou a manipular papelão, como um passatempo, sem maiores ambições. Suas primeiras criações foram máscaras em papelão para levar fantasia e imaginação à vida dos seus filhos, mas com isso veio uma importante revelação: descobriu que o papelão é um maravilhoso material para se trabalhar (isso a gente já sabia!).

Mais tarde seu passatempo se converteria em um admirável e belo ofício artístico.

0703_01

King nasceu nos Estados Unidos e trabalhou como engenheiro de estruturas desenhando grandes prédios como hospitais e estádios, até que decidiu fazer uma pausa do trabalho. Nesse tempo, viajou à China pela primeira vez e visitou Shaoxing, a aldeia onde moraram várias gerações de sua família. Essa viagem foi importante porque o inspirou de vez a tornar-se um artista!

Anos mais tarde, foi desafiado para fazer algum tipo de figura em papelão. E foi aí que veio tudo junto: lembranças, passado, família, papelão, e começou a criação das magníficas esculturas dos Aldeões de Shaoxing!

0703_02

Você também ficaria impressionado se fosse visitar o outro lado mundo, e se encontrasse com vários aldeões dispostos a contar histórias sobre seus parentes, que moravam no lugar uns 50 anos atrás, não é mesmo?

“Eu falei com residentes que lembravam de meus avós há mais de 50 anos”, conta o artista. Assim, com papelão, cola e estilete em mãos começou a arte de esculpir esses aldeões, tudo como uma forma de reconstruir conexões com eles mesmos mas também com as experiências de todos os emigrantes do mundo inteiro.

0703_03 0703_04

Papelão e arte unem pessoas e mundos

As formas são sintéticas e as partes traseiras das figuras ficam “inacabadas” revelando o vazio e a construção meticulosa do artista.

“Estou tentando entender as frágeis conexões entre as pessoas e a cultura, e examinar se essas conexões, uma vez rompidas, podem ser restabelecidas”.

Conexões culturais, raciais e ancestrais estão esculpidas e muito presentes na série de figuras de tamanho natural feitas com papelão, cola, lembranças e muito carinho. O artista ainda trabalha para recriar os habitantes da aldeia de forma individual.

0703_05

Acompanhe o trabalho do artista:
https://www.instagram.com/wrnking/

Crédito imagens: Warren King