Saiba mais sobre os grandes poetas latino-americanos

Consegue imaginar o mundo sem poesia? Sem dúvida, seria um lugar menos inspirador.

Por meio dos livros de poesia é que temos contato com o que há de mais bonito na vida e aprendemos mais sobre nossos sentimentos. A poesia é um dos gêneros literários mais ricos, tendo entre seus autores alguns dos mais talentosos escritores do mundo.

E o que dizer da poesia latino-americana? Você sabe citar qual seu poeta favorito nesse quesito? Bom, se ainda não tem um especial em seu coração, hoje vamos ajudar você a conhecer os grandes poetas da América Latina. Que tal?

Rica em diversos aspectos culturais, a América Latina é berço de diversos poetas renomados, que com seus livros nos ensinam o encanto da poesia.

Vamos conhecer alguns deles?

Jorge Luis Borges

Foto: Borges e Beppo, em sua casa, por Paola Agosti

 

A fama internacional de Borges foi consolidada nos anos 60, durante o fenômeno do “boom latino-americano” na literatura. O argentino Jorge Francisco Isidoro Luis Borges Acevedo, mais conhecido como Jorge Luis Borges, foi escritor, poeta, tradutor, crítico literário e ensaísta. Dentre seus livros mais famosos estão “Fervor de Buenos Aires”, Luna de Enfrente”, “Poemas” “El Hacedor” e “La Rosa Profunda”.

 

Composição Escrita Em Seu Exemplar de Gesta de Beowulf

Às vezes me pergunto que razões

Me movem a estudar sem esperança

De precisão, enquanto a noite avança,

O idioma dos ásperos saxões.

 

No desgaste dos anos a memória

Deixa cair em vão a repetida

Palavra e é assim que a minha vida

Tece e destece a sua exausta história.

 

Porventura de algum modo, contudo,

Secreto e suficiente a alma sabe

Que é imortal e que seu vasto e grave

 

Círculo abarca tudo e pode tudo.

Mas além deste afã e deste verso

Me aguarda inesgotável o universo.

 

Hilda Hilst

Foto: Itaú Cultural

 

Um ícone feminista brasileiro, Hilda Hilst foi uma poetisa, ficcionista, cronista e dramaturga das mais importantes para a literatura da América Latina. Seus livros de maior destaque até hoje são “Presságio”, “Balada de Alzira”, “Roteiro do Silêncio”, “Do Desejo”, “Do Amor”, e “Bufólicas”.

 

Lobos? São muitos.

Mas tu podes ainda

A palavra na língua

Aquietá-los.

 

Mortos? O mundo.

Mas podes acordá-lo

Sortilégio de vida

Na palavra escrita.

 

Lúcidos? São poucos.

Mas se farão milhares

Se à lucidez dos poucos

Te juntares.

 

Raros? Teus preclaros amigos.

E tu mesmo, raro.

Se nas coisas que digo

Acreditares.

 

Mario Benedetti

Foto: Elisa Cabot
Foto: Elisa Cabot

 

Integrante da Geração de 45 ao lado de Vilariño e Juan Carlos Onetti, Mario Benedetti foi um poeta, escritor e ensaísta uruguaio. Alcançou a fama com o livro “Poemas de Oficina” e é hoje considerado um dos principais autores do Uruguai e da América Latina como um todo. Em sua obra, também merecem destaque os livros: “Te Quiero”, “La víspera indeleble”, “Noción de Patria” e “La Casa y el Ladrillo”, entre outros.

 

Amor de tarde

É uma pena você não estar comigo

quando olho o relógio e já são quatro

e termino a planilha e penso dez minutos

e estico as pernas como todas as tardes

e faço assim com os ombros para relaxar as costas

e estalo os dedos e arranco mentiras.

 

É uma pena você não estar comigo

quando olho o relógio e já são cinco

e eu sou uma manivela que calcula juros

ou duas mãos que pulam sobre quarenta teclas

ou um ouvido que escuta como ladra o telefone

ou um tipo que faz números e lhes arranca verdades.

 

É uma pena você não estar comigo

quando olho o relógio e já são seis.

Você podia chegar de repente

e dizer “e aí?” e ficaríamos

eu com a mancha vermelha dos seus lábios

você com o risco azul do meu carbono.

 

Carlos Drummond de Andrade

Foto: Acervo Estadão
Foto: Acervo Estadão

 

A obra do mineiro Carlos Drummond de Andrade é extensa, o consagrando como um dos principais poetas da segunda geração do modernismo. Poeta, contista e cronista brasileiro, dentre seus livros mais famosos e amados estão: “Alguma Poesia” e “Sentimento do Mundo”.

 

No Meio do Caminho

No meio do caminho tinha uma pedra

tinha uma pedra no meio do caminho

tinha uma pedra

no meio do caminho tinha uma pedra.

Nunca me esquecerei desse acontecimento

na vida de minhas retinas tão fatigadas.

Nunca me esquecerei que no meio do caminho

tinha uma pedra

tinha uma pedra no meio do caminho

no meio do caminho tinha uma pedra.

 

Pablo Neruda

Foto: Sam Falk
Foto: Sam Falk

 

Nascido no Chile, Pablo Neruda é tido como um dos maiores poetas da língua castelhana do século XX. Agraciado com o Nobel de Literatura em 1971, dentre seus principais livros se destacam “Vinte Poemas de Amor e uma Canção Desesperada”, “Para Nacer he Nacido”, “Todo el Amor”, “Odas Elementales” e “Estravagario”.

Eu Não o Tinha Olhado

Eu não o tinha olhado e nossos passos

soavam juntos

 

Nunca escutei sua voz e minha voz ia enchendo ia

enchendo o mundo.

 

Houve um dia de sol e minha alegria

em mim não coube,

 

Senti a angústia de carregar a nova

solidão do crepúsculo.

 

Senti-o junto a mim, braços ardendo,

limpo, sangrante, puro.

 

Dentro da noite negra a minha dor

entrou no coração.

 

E vamos juntos.

 

Maravilhosos, não é mesmo? Que a poesia latino-americana continue a florescer e iluminar os nossos dias com seus versos!