Quatro mães marcantes da literatura

Bondosas, fortes e inesquecíveis. Assim como as páginas de um bom livro, nossas mães nos ensinam muito, cada uma à sua maneira. E o mundo da literatura sempre cuidou de retratar as mães com a máxima justiça, em toda a sua magnitude e importância. Em comemoração ao Dia das Mães, fizemos uma seleção com quatro mães marcantes da literatura. Vem conferir com a gente!

 

Úrsula Iguarán – Cem Anos de Solidão, de Gabriel García Márquez                  

1105_fotos_blog_02

lustração de Luisa Rivera

García Márquez já despontava como um dos mais importantes escritores latino-americanos, no início da década de 1970, quando Cem Anos de Solidão se popularizou no Brasil. O livro causou enorme impacto trazendo a idílica Macondo, ficcional vilarejo caribenho onde conhecemos a história da família Buendía. Úrsula Iguarán é a grande matriarca dessa família, uma mulher determinada, de personalidade forte, a quem todos recorrem quando precisam de ajuda ou de colo. No decorrer do livro, ela também se torna avó e bisavó, consolidando seu papel de matriarca com muita sensatez e amor!

 

Cersei Lannister – A Guerra dos Tronos – As Crônicas de Gelo e Fogo, de George R.R. Martin

1105_fotos_blog_03

Sucesso na TV, foi nos livros de George R. R. Martin, lá em 1996, que a épica história da Guerra dos Tronos surgiu. Com uma narrativa que mais parece um obra de arte, o autor traz o melhor do que o gênero de fantasia pode oferecer. Mistério, intriga, romance e aventura são alguns dos ingredientes dessa epopeia, que traz mulheres poderosas como a nossa homenageada da vez, Cersei Lannister. Ela não é das mães mais carinhosas do mundo, mas você pode saber que ela é forte como uma rocha. Uma das mais icônicas figuras da mais rica e poderosa casa de Westeros, Cersei é calculista em tudo o que faz e tem um único objetivo: proteger seus filhos.

Polly – As Aventuras de Tom Sawyer, de Mark Twain

1105_fotos_blog_04

As aventuras de Tom Sawyer é um dos grandes clássicos da literatura americana. Tom Sawyer, o inesquecível personagem de Mark Twain, é um menino astuto, tão à vontade no mundo cheio de regras de sua tia Polly, quanto no universo aventureiro de seu amigo Huck Finn. E será que vale incluir a tia de Tom Sawyer numa lista de mães marcantes da literatura? Nesse caso, vale sim! Afinal, a relação da velha senhora com Tom, de quem ficou responsável após a morte da irmã, lhe dá o título de “Mãe Marcante da Literatura” com toda a glória. Polly é linha dura: rígida e disciplinadora com seu sobrinho. No entanto, está sempre ali para ele e nunca perde a chance de mostrar o quanto o adora. É a prova de que nem sempre uma mulher precisa ter dado à luz para ser considerada uma mãe.

Molly Weasley – Harry Potter, de J. K. Rowling.

1105_fotos_blog_05

A saga de Harry Potter é sucesso, não é mesmo? E foi por meio dos livros que nós aprendemos a amar os personagens criados pela escritora britânica J. K. Rowling. E uma das figuras mais amadas pelos leitores, sem dúvida é a Mamãe Weasley, a fofíssima Molly Weasley. Divertida, imprevisível e uma verdadeira mãe coruja, Molly é a mãe maravilhosa da família mais feliz e bonita do mundo bruxo. Ela faz de tudo pelos filhos e por seu querido Harry Potter!

E aí, o que achou da lista? Qual outra mãe marcante da literatura você acrescentaria? Não deixe de nos contar nos comentários qual a sua favorita. 😉 Aproveite a data para celebrar com aquela que sempre fez questão de te apresentar o melhor do mundo e te ensinou o poder da leitura. Parabéns, mães!