Curto Papel

Inspire-se com a história de Hugo Canuto, um mestre dos quadrinhos!

Artista criador de ‘Contos dos Orixás’ nos conta detalhes de seu processo criativo.

 Dois anos e meio de pesquisa, dedicação e trabalho constante deram origem à novela gráfica inspirada no universo dos Orixás. Confira os detalhes nas palavras de Canuto.

 

O papel e os quadrinhos me permitiram expandir a imaginação, descobrir novas possibilidades de expressão, sonhos, culturas e histórias.

0205_fotos_blog_1

Lembro que, em meio a talvez 60 colegas de sala, quase ninguém desenhava, e menos ainda se interessava pelos mesmos temas que eu.

Desde criança, eu ia para a biblioteca no intervalo da aula e lia, corria do excesso de gente, do barulho, e ali podia absorver coisas que realmente me interessavam, como história, geopolítica e enciclopédias.

Aproveitava esses  momentos para desenhar, entre Jorge Amado, a Ilíada, Gilgamesh e o Rei Arthur.

Esse período fortaleceu um repertório de autores que cultivo até hoje.

 

Procure lápis e papel e tome nota:

Nos quadrinhos e no cinema formei parte do meu repertório, principalmente pelo traço de Jack Kirby, John Buscema, Walt Simonson e os europeus, como Moebius e Toppi.

De certo modo, essa era a minha escola em um período anterior ao da internet, quando precisávamos ir nos sebos cavar gibis clássicos.

Naquela época, anos 1990, pude ter acesso aos clássicos da Marvel e DC graças a um amigo mais velho, que emprestava seus gibis.

 

Contos dos Orixás

0205_fotos_blog_2

O Projeto Contos dos Orixás é uma história em Quadrinhos com cerca de 120 páginas e formato americano, que conta algumas narrativas sobre os Orixás, inspiradas nos Itan, conjunto de mitos, histórias e canções sobre essas divindades.

 

Além da HQ, criamos também uma série de pôsteres, que deram início ao projeto. Temos 16 artes ao todo.

0205_fotos_blog_3

Como alguém nascido na Bahia, a influência africana na cultura é parte de minha identidade e, para além do aspecto religioso, atua nos hábitos, no falar, na gastronomia, etc.

 

Uso o papel como rascunho na produção da HQ, esboço de páginas e thumbs, que depois serão finalizadas no modo digital.

0205_fotos_blog_4

Aos 10 anos, já apaixonado por mitos, li o livro Lendas Africanas dos Orixás, escrito por Pierre Verger e desenhado por Carybé. Com o tempo, me dei conta da importância que tinham aquelas entidades vindas de além-mar, cujas estátuas pairam nas águas do Dique do Tororó, na praia do Rio Vermelho, na arte de Carybé, nos mercados e ruas.

0205_fotos_blog_5

Como artista, sempre busquei entender o papel dos mitos e das religiões como forças atuantes na formação das sociedades.

Há alguns anos, já como arquiteto de uma empresa pública de desenvolvimento urbano do estado da Bahia, acompanhei questões ligadas ao movimento de proteção da Pedra de Xangô, monumento histórico das religiões de matrizes africanas, situado na periferia de Salvador, que foi vandalizado.

Diante da realidade dura de discriminação e perseguição que essas crenças sofrem, foi surgindo a vontade de contar uma história que abordasse a cultura afro-brasileira, e escrevi um argumento.

0205_fotos_blog_6

Meu trabalho se converteu em instrumento de mudança de mentalidades em relação a cultura afro-brasileira, principalmente entre os mais jovens. Também serve como inspiração para que outros artistas contem suas próprias histórias.

 

A comunidade se vê representada!

0205_fotos_blog_7

Imagem e texto descritivo tirado do site de arrecadação de fundos do projeto: (Acima, estudos feitos a partir de pessoas em Salvador e Cachoeira, que inspiraram a composição dos personagens e o conceito visual da Graphic Novel.)”

O retorno das comunidades que se veem representadas em ‘Contos dos Orixás’ é extremamente positivo. Desde lideranças culturais e religiosas, fãs de quadrinhos, outros artistas, educadores e estudantes nas escolas.

Ficamos felizes de ver que a semente plantada há três anos se torna agora instrumento de mudança e inspiração para muitos.

7

Dica:

Uma folha de papel em branco significa a janela para acessar universos inteiros que estão em minha imaginação.

Se você quer desenhar, comece o quanto antes! Desenhe e risque sem medo, expresse o que tem dentro de você com intensidade.

Acredite, trabalhe duro, foque em construir seu trabalho sem pressa, em encontrar suas referências e estilos e em contar a história que tem dentro de você.

 

Recentemente compartilhamos aqui no blog uma  matéria contando sobre Contos dos Orixás e sobre o processo de financiamento da pré-venda, que foi um sucesso.

0205_fotos_blog_8

E aí, você ficou com vontade de correr e ler a HQ?

Você pode comprá-lo no site do artista!