O futuro é agora! Saiba o que são as RPPNs e sua importância para a conservação ambiental

A preservação da natureza é essencial. Veja como empresas e pessoas podem ajudar iniciativas como a Reserva Particular do Patrimônio Natural.

Os cuidados com o meio ambiente são cada vez mais necessários. O que nem todo mundo sabe, é que não precisam ser necessariamente feitos apenas pelo poder público. Empresas e pessoas físicas podem contribuir – e muito – com o nosso planeta. Uma das formas de ajudar é através da Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN).

RPPN

Imagem: Parque Florestal São Marcelo, mantido pela International Paper em Mogi Guaçu, São Paulo.

Criadas em 1990, as RPPNs são unidades territoriais de conservação que ficam sob responsabilidade de seus proprietários, e que estão presentes tanto no campo quanto nas cidades. O objetivo principal dessas reservas é incentivar a preservação da diversidade biológica, mas não só isso: elas têm extrema importância na manutenção de recursos hídricos, no manejo de recursos naturais, pesquisas científicas, turismo, educação, enfim, uma série de atividades que visam aumentar nosso patrimônio ambiental. Uma iniciativa super necessária, concorda?

Uma coisa muito legal é que não existe tamanho mínimo de RPPN. Ou seja, quem quiser, pode ajudar como conseguir. Hoje já são mais de 675 reservas particulares, que somam aproximadamente 510 mil hectares de áreas protegidas.

International Paper e RPPNs

A International Paper é uma das empresas proprietárias de RPPNs, com 5 reservas dentro do estado de São Paulo, uma em processo de reconhecimento. Essas unidades de conservação possuem uma área total de 1.343 hectares. E olha que legal:  em nossas RPPNs, já foram identificadas 350 espécies de árvores nativas e mais de 400 espécies de animais da fauna brasileira!

Para ver como criar uma RPPN, clique aqui. Se cada um fizer sua parte, nem que seja divulgando boas práticas, fica mais fácil. 😉

RPPN_MOGI GUAÇU