Máquinas de escrever

Da nostalgia à oportunidade de negócio

Por mais de um século, o uso de máquinas de escrever (também conhecida como máquina de datilografia) foi o método mais rápido e eficiente de escrever com letras tipografadas. O ruído a cada caractere digitado, a fita da tinta dando vida a palavras sob o papel em branco e o fato de termos que endireitar a posição da página ao invés de ter tudo automatizado, ainda cativa muitas pessoas.

Porém, apesar de prazeroso e evoluído para a época, em meados dos anos 1990, o hábito de utilizar máquinas de escrever foi substituído pelo uso dos computadores, que passaram a fazer cada vez mais parte do cotidiano, devido a praticidade e velocidade adquirida.

maquinadeescrever1

 

Mas para muitos nostálgicos, a máquina de datilografia ainda está entre os objetos mais queridos de todos os tempos. E é assim para o publicitário Sérgio Henrique de Oliveira, que além de permanecer apaixonado pelas antigas máquinas, a transformou em uma oportunidade de negócio.

Tudo começou quando o publicitário comprou uma para ele mesmo, por saudosismo, até que aos poucos passou a colecionar, chegando a um número de 25 máquinas de escrever, dos mais variados tipos e modelos.

Com o interesse de outros amigos, que sempre queriam usar as máquinas, Oliveira percebeu que tinha em mãos mais do que nostalgia, mas um objeto de negócio, e passou a trabalhar com reparo e venda das nostálgicas máquinas.

Apaixonados por papel e pelas teclas, os clientes costumam fazer pedidos específicos e não apenas para guardar: muitos ainda as usam! Segundo o publicitário, em um ano foram vendidas 70 máquinas. Quem tiver interesse, basta visitar seu link no Facebook.

Captura de Tela 2020-01-07 às 11.34.42