Dia da Língua Portuguesa: conheça 5 livros estrangeiros criados com nosso idioma

Preparamos uma lista com grandes obras de autores que também falam nossa língua.

O português é considerado um dos mais bonitos e difíceis idiomas do mundo. Só que não é apenas no Brasil que ele é falado. Assim como nós, existem mais países onde a linda língua portuguesa é a oficial. Isso, claro, também gerou muitas obras literárias com qualidades que só ela é capaz de produzir. Desde que Camões apontou a direção, muitos outros escritores se mostraram mestres no domínio da escrita em nosso idioma. Por isso, separamos cinco grandes livros escritos por autores estrangeiros que também possuem o português como sua língua oficial.

Mayombe (Pepetela) – Angola 

Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos, o Pepetela, é um dos maiores escritores angolanos de todos os tempos. Dentre todas as suas produções, Mayombe é visto por muitos como sua obra-prima. Publicado pela primeira vez em 1980, o livro foi escrito durante a participação do autor na guerra de libertação de Angola na década de 1970. Assim, Mayombe retrata o dia a dia dos guerrilheiros do chamado Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), retratando suas ações, sentimentos e reflexões, assim como contradições e conflitos do período.

Mayombe

O Testamento do Sr. Napumoceno da Silva Araújo (Germano Almeida) – Cabo Verde 

Nesse curto romance, vemos o protagonista, Sr. Napumoceno, como um conceituado comerciante do Mindelo, segunda maior cidade de Cabo verde. Quando morreu, sua casa comercial era vista como uma extensão de suas qualidades pessoais – bom, íntegro, sério, sem vícios, rico e respeitado. Tudo isso muda quando a leitura das centenas de páginas do seu testamento lança uma nova perspectiva sobre sua vida e suas atuações. O cabo verdiano Germano Almeida consegue, assim, deixar o leitor assistir à construção de uma personagem complexa e contraditória, mas não menos rica e fascinante.

O testamento do Sr. Napumoceno da Silva Araújo

Terra Sonâmbula (Mia Couto) – Moçambique 

Mia Couto é hoje considerado um dos maiores escritores vivos em atividade. Nesse seu primeiro romance, o moçambicano nos brinda em cada página com uma aula sobre a velha arte de contar histórias. Terra Sonâmbula mostra uma Moçambique pós-independência, mergulhada em uma devastadora guerra civil. Temos, então, um velho e um menino que decidem realizar uma viagem recheada de fantasias míticas.O livro foi considerado por júri especial da Feira do Livro de Zimbabwe um dos doze melhores livros africanos do século XX.

Terra sonâmbula

No Fundo do Canto (Odete Semedo) – Guiné-Bissau 

Neste livro, a autora Odete Semedo apresenta poemas curtos e longos tendo como tema principal a história recente de Guiné-Bissau e todos os aspectos de uma guerra. O objetivo aqui é de uma afirmação de identidade nacional, em um processo de reconstrução poética de sua nação. Para isso, ela nos mostra as inúmeras características culturais das etnias guineenses, homenageando suas tradições e relembrando o culto aos seus antepassados. No Fundo do canto também se destaca pelo uso constante de vocábulos da língua crioula,  que se misturam ao português criando lindas e impactantes imagens. 

No fundo do canto

Vento, Areia e Amoras Bravas (Agustina Bessa-Luís) – Portugal

Claro que, para homenagear autores estrangeiros que falam a língua portuguesa, não poderíamos deixar de fora Portugal. Por isso, escolhemos o segundo livro infanto-juvenil da autora Agustina Bessa-Luís, vencedora do Prêmio Camões de 2004. Conhecida pela construção de tipos femininos carregados pela dor da existência, a portuguesa apresenta a história da personagem Lourença, da pré-adolescência à juventude, quando ela se descobre escritora. O enredo tem como fundo o ambiente familiar da protagonista, que mostra uma personalidade forte, engraçada e vigorosa.

Vento, areia e amoras bravas