The Paper Dome: a igreja feita com papel

Localizada atualmente em Taiwan, a construção é um ponto turístico com milhares de visitantes

Em janeiro de 1995, o Japão sofreu com o terremoto conhecido como Great Hanshin. Por conta desse desastre, 60% de todos os edifícios da cidade de Kobe foram destruídos, incluindo a Igreja Católica Takatori. No entanto, curiosamente, uma estátua de Jesus permaneceu ilesa. As pessoas entenderam esse fato como um milagre e decidiram reconstruir a igreja o mais rápido possível. O arquiteto japonês Shigeru Ban, de fama internacional, foi convidado a construir uma instalação temporária para fiéis. Surgia então o chamado Paper Dome. 

dome1

Shigeru Ban é famoso por sua paixão pelo uso de papel em seus projetos. De fato, o material, apesar de aparentemente macio para construções desse porte, pode ser forte e confiável se usado da maneira correta. Sendo assim, ele projetou uma construção em forma de elipse usando tubos de papel e papelão. A igreja temporária, apelidada de “Paper Dome” (Cúpula de Papel, em português), tornou-se não apenas o novo centro religioso, mas um local de ajuda e apoio aos que sofreram com o terremoto. Dessa forma, ficou conhecida como um verdadeiro local de encontro de Kobe.

Após dez anos, autoridades constataram que o prédio era pequeno demais e que precisava ser substituído por uma nova igreja permanente. O Paper Dome seria, então, destruído. Felizmente, outra ideia surgiu e ele foi doado para a comunidade de Taomi, em Taiwan, que também sofreu com um terremoto, em setembro de 1999. O prédio agora se tornava também um símbolo de amizade entre Japão e Taiwan. Assim, em 29 de maio de 2005, o edifício foi enviado para sua nova locação. Após três anos, Taomi se tornou oficialmente o novo lar do Paper Dome, agora uma construção permanente e também aberta à visitação.

dome2

No dia 21 de setembro de 2008, representantes de duas comunidades religiosas, o cristianismo e o taoísmo, se reuniram para abençoar a construção. Desde então, o Paper Dome em Taomi não é apenas uma atração turística, mas também um lugar para trocar experiências de reconstrução de terremotos e educar as pessoas. Exposições de artistas locais, shows e outras atividades são realizadas no prédio, que conta com uma estrutura com 58 tubos de papel e até bancos feitos do material. O Paper Dome é a prova de que, quando pensamos em papel, não há limites.

dome3