Os 5 livros de ficção mais vendidos de todos os tempos

Conheça os romances que mais fizeram sucesso entre o público do mundo inteiro

Antigamente, as grandes histórias eram repassadas de geração em geração por voz, por meio dos oradores. Depois, veio a escrita, em seguida o papel e, claro, o nosso amado livro. Feito a mão, dava muito trabalho e poucos tinham acesso. Foi com a criação da prensa de Gutenberg, por volta de 1450, que a produção de livros ficou mais fácil. De lá pra cá, muita coisa aconteceu. O livro começou a chegar às mãos de cada vez mais pessoas e surgiu, enfim, o mercado literário. E alguns livros nunca mais pararam de vender. Vamos conhecer, então, os cinco livros mais vendidos de todos os tempos. Nessa lista não entram livros de não ficção e também não estão as coleções, como O Senhor dos Anéis e Harry Potter. Valem apenas títulos únicos. Vamos lá!

5º Lugar: O Alquimista (Paulo Coelho)

O-Alquimista

Nosso ranking começa com um autor brasileiro. Paulo Coelho ficou famoso por sua parceria com o músico Raul Seixas, criando letras que marcaram o cancioneiro popular. Porém, o sucesso veio mesmo com sua produção literária. Entre seus livros mais populares, o de maior destaque é “O Alquimista”, lançado pela primeira vez em 1988. A história narra a aventura do personagem Santiago, um pastor andaluz, que decide viajar para encontrar uma fortuna que lhe foi revelada em uma profecia. Durante a jornada, conhece pessoas que o ensinam importantes lições sobre a vida. O livro (e o autor) possui fãs famosos, como o ex-presidente dos EUA Bill Clinton.

Vendas: 150 milhões de cópias (estimativa)

 

4º lugar: O Pequeno Príncipe (Antoine de Saint-Exupéry)

O-Pequeno-Principe-1

Filmes, musicais, desenhos animado e até mangá. A obra mágica do francês Antoine de Saint-Exupéry, publicado originalmente em 1943, marcou a vida de muitas crianças e também de adultos. Frases do livro, como “tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas”, estão entre as mais famosas da literatura. Não por menos, a história do menino que diz viver sozinho no Asteroide B-612, tendo como única amiga uma rosa, é das mais belas já feitas. Não só isso, como também uma das que mais recebeu traduções ao longo dos anos, tendo sido publicada em mais 220 idiomas e dialetos.

Vendas: entre 150 e 180 milhões de cópias (estimativa)

 

3º Lugar: Um Conto de Duas Cidades (Charles Dickens)

Um-Conto-de-Duas-Cidades

O inglês Charles Dickens ficou famoso, especialmente, por conta de romances e contos de Natal e de fantasia, com um estilo de escrita bem poético. Seu livro mais vendido, entretanto, tem como pano de fundo a Revolução Francesa. Apesar de evitar tomar uma posição política, “Um Conto de Duas Cidades” apresenta observações de cunho social e no impacto que essa importante passagem da história refletiu em pessoas de todos os classes econômicas. Com quase 500 páginas, o livro, publicado originalmente em 1959, mostra os conflitos entre a nobreza e os mais pobres. Já as duas cidades do título se referem, claro, a Londres e Paris. 

Vendas: entre 180 e 250 milhões de cópias (estimativa)

 

2º Lugar: O Conde de Monte Cristo (Alexandre Dumas)

O-Conde-de-Monte-Cristo

Quem gosta de Quentin Tarantino ou tem acompanhado a série Lovecraft Country, da HBO, já deve ter, pelo menos, ouvido falar desse livro. Na verdade, ele próprio já foi adaptado para os cinemas três vezes: em 1934, 1975 e 2002. Assim como “Os 3 Mosqueteiros”, outra obra famosa do francês Dumas, temos aqui uma aventura que envolve cavalaria, vingança e lutas com espadas. Porém, resumir a isso esse clássico de 1300 páginas é injusto. O livro, que narra a epopeia de Edmond Dantés, preso injustamente e que, após fugir da cadeia, resgata uma misteriosa fortuna, é também uma poderosa crítica social da França do século 19. 

Vendas: entre 200 e 250 milhões de cópias (estimativa)

 

1º lugar: Dom Quixote (Miguel de Cervantes)

Dom-Quixote

O clássico máximo do escritor espanhol Miguel de Cervantes não é apenas o mais vendido como também o maior da lista, com mais de 1300 páginas. É também o mais antigo, publicado pela primeira vez em em 1605. Apesar de dividido em dois volumes, eles sempre foram lançados juntos, como se fossem um livro único. Por isso, as aventuras do fidalgo Dom Quixote e de seu fiel escudeiro Sancho Pança ocupam orgulhosamente o topo da lista dos livros de ficção mais vendidos de todos os tempos. Porém, ao contrário do nosso vice-campeão, foram poucas as tentativas de levar sua história às telas. Mesmo assim, sua originalidade e inovação de escrita tornam essa uma das narrativas mais comentadas de todos os tempos. 

Vendas: entre 400 e 500 milhões de cópias (estimativa)