Desligue o ventilador. Novo telhado feito com papel mantém a casa refrescada

Desligue o ventilador. Novo telhado feito com papel mantém a casa refrescada

Material sustentável pode naturalmente resfriar edifícios sem ar-condicionado

 

Ok, julho é uma época de frio. Mas não podemos esquecer que a maior parte do tempo sentimos muito calor por aqui, não é mesmo? Um telhado que possa manter a casa refrigerada é tudo o que sempre pedimos. Até porque o alto consumo de energia elétrica não ajuda nem as contas nem o ambiente. Agora, porém, já existe uma alternativa para tudo isso. Pelo menos é o que garante Yi Zheng, professor de engenharia mecânica e industrial da Northeastern University, em Boston, EUA. Ele criou um material sustentável que pode ser usado para fazer edifícios ou outros objetos capazes de manter a refrigeração sem depender de sistemas convencionais.

Zheng imagina que este material, apelidado de “papel de resfriamento”, possa cobrir os telhados de casas, armazéns e edifícios de escritórios. O papel de resfriamento ganhou esse nome porque, de fato, é feito de papel. Assim, a microestrutura porosa das fibras naturais internas absorve o calor interno e o reemite para longe do edifício. O material, aliás, não apenas reflete os raios solares quentes para longe do edifício, mas também suga o calor do interior – aquele que é emitido por aparelhos eletrônicos, eletrodomésticos e corpos humanos.

A ideia surgiu de forma curiosa. Zheng olhou para um balde cheio de papel de impressão usado e pensou “Como poderíamos simplesmente transformar esse material residual em algum material de energia funcional?”. Assim, com a ajuda de um liquidificador de alta velocidade da cozinha de sua casa, o professor fez uma polpa com resíduos de papel misturada com o material que compõe o Teflon. Em seguida, ele trabalhou nisso até chegar ao “papel de resfriamento”, que também é repelente à água. O próximo passo foi testar sua capacidade de se manter fresco sob várias condições de temperatura e umidade.

O professor e sua equipe descobriram que o papel de resfriamento pode reduzir a temperatura de uma sala em até 6º graus e não apenas é ecológico em sua capacidade de reduzir sua pegada de energia, como também é reciclável. O material pode ser exposto à radiação solar, intempéries e temperaturas variáveis, depois reduzido a uma nova polpa e reformado sem perder suas propriedades de resfriamento. Zheng afirma, inclusive, que o papel de resfriamento reciclado teve um desempenho tão bom quanto o original. Agora é esperar o período de calor voltar e torcer para o material já estar disponível para uso.

 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *