Quer doar livros? Confira 5 tipos que não servem para bibliotecas

Quer doar livros? Confira 5 tipos que não servem para bibliotecas

Conheça algumas condições em que seu livro não serve mais para doação

 

Todo leitor assíduo chega a um ponto decisivo quando suas estantes se esgotam e não há mais espaço para livros novos. Seja porque ganhou um que já tinha, porque esqueceu e acabou comprando duplicado ou simplesmente porque acumulou muito mesmo. Como parar de adquirir novos livros não é uma opção (claro!), esta pode ser uma boa hora para fazer uma seleção dos títulos que não quer ou não precisa mais, cedendo espaço para material novo. Você pode vender os livros que não deseja mais, mas todo bom leitor também sempre acaba doando para uma biblioteca ou instituição de ensino. A questão é que, por mais que tenhamos uma ligação com muitos desses livros, existem alguns que nunca devem ser doados.

 

Livros didáticos rasurados

Sim, o livro pode ter te ajudado muito em um determinado curso ou mesmo em sua trajetória profissional, mas livros didáticos são especiais e precisam estar em boas condições para que seu uso seja aproveitável. Isso significa que qualquer rasura, anotação ou marcação pode atrapalhar sua finalidade. Muitas vezes, uma simples pontuação pode acabar de vez com toda sua utilidade. Além disso, o conteúdo também pode estar defasado ou ter mudado ao longo dos anos. Isso também significa que os livros didáticos antigos não são relevantes para as bibliotecas, justamente porque podem ter perdido sua essência com comentários ou rasuras. Se esse for o caso do seu livro, o ideal é dar outro uso para ele. 

 

Guias antigos ou desatualizados

Lembra daquela vez que você comprou um guia do Windows XP? Se você não tem mais uso para ele, então provavelmente é seguro dizer que ninguém mais tem. Quaisquer livros que expliquem ou apontem para coisas muito antigas, como tecnologia, provavelmente serão reciclados pelo simples fato de estarem desatualizados. O mesmo vale para antigos guias de viagem, calendários e livros de referência datados. Eles podem até possuir boas informações ainda, mas, a menos que você possa passar o livro para alguém que esteja procurando algo específico nessas páginas, esses guias terão pouca utilidade para outras pessoas. 

 

Livros muito sujos ou rasgados

Talvez seja até desnecessário apontar esses tipos, mas se um livro estiver em muito mau estado, por favor, não o doe. Edições muito sujas que ficaram guardadas por anos com certeza estão mofadas e podem, inclusive, representar um perigo para outros livros em melhores condições, já que o mofo se espalha. Além disso, se a lombada estiver rachada além do reparo, se as páginas estiverem soltas, se tiver sido danificado por água, se estiver amassado, então é um livro que não será benéfico para ninguém. A doação não é apenas para se livrar daquilo que você não deseja mais. Ao contrário, precisa ser algo que sirva também aos outros. 

 

Livros com conteúdos problemáticos

Se um livro contém algo que possa prejudicar ativamente alguém de uma comunidade marginalizada, por favor, não deixe essa informação se espalhar. Não estamos falando aqui de livros que possuem conteúdos que retratam alguns costumes e pensamentos da época que foram feitos, como alguns títulos do Monteiro Lobato, por exemplo. Esses podem e devem continuar circulando e tendo seu conteúdo debatido e avaliado, sempre com intenção de apontar possíveis erros. Entretanto, alguns títulos são além de produtos de um tempo. Geralmente, possuem claro viés de confrontação, impondo pensamentos e regras que não só não cabem mais nos dias atuais, como podem ser configurados como crimes. 

 

Livros com informações pessoais

Ok, quase todo mundo tem um livro autografado ou simplesmente assinado. Afinal, sempre tem aquele amigo ou parente que pega emprestado e nunca devolve, certo? Estes com certeza não serão um problema para quem for ler em uma biblioteca ou outra instituição. Muitos títulos, no entanto, estão recheados de informações pessoais, como número de identidade, endereço, telefone e outros. Isso é muito comum em livros que são adotados em escolas, onde os alunos precisam dessas identificações. Em boa parte dos casos é possível simplesmente apagar ou cobrir as informações. Agora, quando não for o caso, o ideal é não se desfazer do livro ou entregá-lo apenas a alguém de sua inteira confiança. 

1

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *